PARA SER FELIZ DE NOVO

Daniela Themudo Lessa

Daniela Themudo Lessa

Advogada, empresária, designer de moda e produtos infantis - criadora da Dani Lessa Acessórios Infantis. Mãe do Pedro e da Carol. Casada com o Fábio. Passa pelas mesmas alegrias e preocupações de todas as mães. Vive em São Paulo.
Daniela Themudo Lessa

Últimos posts por Daniela Themudo Lessa (exibir todos)

Não consigo entender pessoas esclarecidas que votam nulo ou em branco no segundo turno. Ainda mais pessoas que se dizem de esquerda. Tenho muitos amigos assim e são eles que tem mais me tirado do sério.

Como assim não vão se sentir responsáveis pelo que vai acontecer se anularem o voto? Ficar apenas olhando não vai parar a bola que está rolando ladeira abaixo. É preciso esticar as mãos e ajudar a pará-la!!!

Nosso compromisso é com a democracia, com a liberdade, a convivência plural e o respeito mútuo. Enquanto divergirmos sobre os rumos das políticas econômicas, sociais ou ambientais, sobre a qualidade deste ou daquele ator político, sobre o acerto do nosso sistema legal e dos processos e decisões judiciais para sua aplicação, estaremos divergindo ainda no terreno da democracia, da disputa legítima de ideias e projetos no debate público.

Apoiar, direta ou indiretamente, projetos que negam a existência de um passado autoritário no Brasil, que flertam com conceitos como a elaboração de uma nova constituição sem delegação popular, com a manipulação do número de juízes nas cortes superiores ou recurso a autogolpes presidenciais, acumulam declarações francamente xenofóbicas e discriminatórias contra setores diversos da sociedade, refutam o princípio da proteção de minorias contra o arbítrio e lamentam o fato das forças do Estado terem historicamente matado menos dissidentes do que deveriam, é lidar com algo muito maior e anterior a todo e qualquer dissenso democrático. Como não enxergar isto?

Não podemos esquecer que líderes fascistas, nazistas e de outros regimes autocráticos na história foram originalmente eleitos com a promessa de resgatar a autoestima e a credibilidade de suas nações para depois subordiná-las aos mais variados desmandos autoritários. Aqui no Brasil foram 20 anos de sombras, sob o regime ditatorial. Tivemos Jânio e Collor como pretensos heróis da pátria, aventureiros eleitos como supostos redentores da ética e da limpeza política. Será que esqueceram disto?

Estou desolada porque para mim tudo parece tão óbvio, mas não consigo fazer com que sequer um destes meus amigos entenda meu ponto.

Pensem, estávamos 2 anos atrás desiludidos, em meio a um tenebroso Golpe. Tudo conspirava contra. Nunca vou me esquecer daqueles gritos de “Tchau Querida” em pleno salão verde do Congresso. Foi um achaque quando a votação pelo golpe acabou naquele Plenário. Aplausos, gritos, cornetas, parecia final de Copa do Mundo. Vivia ali um pesadelo vendo Marun, Beto Mansur, a gauchada do PP, Rubens Bueno, Caiado, Paulinho da Força, o próprio Coiso, et caterva, comemorando na mais pura felicidade. Rubens Bueno chegou até onde estávamos, satisfeito abraçou meu marido (que é jornalista) e cheio de orgulho disse que aquilo sim era uma verdadeira democracia.

Eu ali parecia camisola em noite de núpcias. Vontade de sumir. O único abraço amigo foi o de Ivan Valente, cheio de lágrimas nos olhos. Inconformado, mas ali fazendo questão de ir à imprensa mostrar toda a sua frustração.

Tivemos que engolir a derrota.

Depois veio a votação do Senado, Ana Amélia, Marta Suplicy e outros em polvorosa, prontos para consumar o golpe e acabar de nos chutar – o famoso chutar cachorro morto. Novamente engolimos seco. Não bastasse tudo isso, Temer saiu ileso a todas as denúncias dos Joesleys da vida. Mais sapos que colocamos para dentro. E assim seguimos até 7 de abril deste ano quando Lula foi preso. Felicidade plena dos coxas. Finalmente o “sapo barbudo” estava preso. Moro aclamado, STF idolatrado e nossa garganta cada vez mais larga…

Só que quando tudo parecia perdido, olhem só essa curva aí do PT na pesquisa do IBope! Pensem no que isso representa! Contextualizem! Saímos da desmoralização e estamos em 2º lugar nas pesquisas!! Falta pouco, gente. Lutamos até aqui, não é hora de jogar a toalha, de desanimar.

Vamos em frente. Façamos cada um a nossa parte e o Brasil vai ser feliz de novo!

Daniela Themudo Lessa

Daniela Themudo Lessa

Advogada, empresária, designer de moda e produtos infantis - criadora da Dani Lessa Acessórios Infantis. Mãe do Pedro e da Carol. Casada com o Fábio. Passa pelas mesmas alegrias e preocupações de todas as mães. Vive em São Paulo.

Troque ideias conosco!