LEITE DE CASTANHA DO PARÁ

Débora Böttcher Lessa

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, amante da literatura e de chocolate. Vive um dia de cada vez. Mora em SP. Trabalha com arte visual, mídias sociais e mkt. Casada, 'mãe' da Maya, uma labradora cor de cacau, e da Luna, uma labradora black.
Também administra o Portal Babel Cultural [www.babelcultural.com]
Débora Böttcher Lessa

Últimos posts por Débora Böttcher Lessa (exibir todos)

leite_castanhasContinuando com a experiência de ‘produzir’ leite de nuts, hoje foi a vez de testar as Castanhas do Pará.

Pessoalmente, não me adaptei prontamente ao Leite de Amêndoas: ele me deu um pouco de enjoo, pois o sabor é muito acentuado, e ficou um pouco ‘pesado’ pra mim – eu tive gastrite, não sei se tem co-relação. Também talvez porque amêndoa não seja uma das minhas frutas secas preferidas.

Já o Leite de Castanhas do Pará, que tomei hoje, eu tinha lido que era bem saboroso e isso se comprovou. Na verdade, o sabor é bem sutil e ele se mostrou mais leve – ao paladar e ao meu organismo. Castanhas são excelente fonte de Selênio e atuam como antioxidantes eliminando as impurezas do organismo. Seu teor de vitamina E e vitamina B1, exercem papel importante no fornecimento de energia e no metabolismo das proteínas.

O preparo é o mesmo: coloque 100 grs de castanhas do pará de molho por doze horas (deixe à noite para preparar pela manhã). Jogue a água do molho fora, lave-as bem, e leve ao liquidificador com 3 xícaras de água – hoje eu coloquei mais meia xícara e usei água gelada. Bata bem por uns cinco minutos e coe – eu coei três vezes, sendo que a última com uma peneira bem fininha. Armazene sempre em garrafa de vidro.

O resíduo, uma ‘massa’ bem encorpada, vou usar pra fazer barrinhas de cereais, juntando aveia, farinha de aveia e uvas passas, até ficar uma massa mais consistente; daí é só untar levemente com manteiga light ou óleo de coco uma assadeira e ‘prensar bem a massa’. Leve ao forno durante cerca de 20 a 25 minutos, até ficarem douradas. Retire do forno e deixe descansar à temperatura ambiente durante alguns minutos para esfriar, e leve ao freezer para gelar bem – é importante que as barras esfriem para cortá-las, pois se cortar quente, elas se desfazem. Guarde num recipiente fechado e consuma em até uma semana. Eu fiz com o resíduo da amêndoa e ficou muito bom.

Ainda vou testar o leite com nozes e depois conto o resultado. Teste você também e nos conte o que achou!!!


Débora Böttcher Lessa

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, amante da literatura e de chocolate. Vive um dia de cada vez. Mora em SP. Trabalha com arte visual, mídias sociais e mkt. Casada, 'mãe' da Maya, uma labradora cor de cacau, e da Luna, uma labradora black. Também administra o Portal Babel Cultural [www.babelcultural.com]

Troque ideias conosco!