DIA DOS NAMORADOS PRA QUEM ESTÁ SOZINHA

Débora Böttcher Lessa

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, amante da literatura e de chocolate. Vive um dia de cada vez. Mora em SP. Trabalha com arte visual, mídias sociais e mkt. Casada, 'mãe' da Maya, uma labradora cor de cacau, e da Luna, uma labradora black.
Também administra o Portal Babel Cultural [www.babelcultural.com]
Débora Böttcher Lessa

Últimos posts por Débora Böttcher Lessa (exibir todos)

A semana é de corações para lá, corações para cá em todo canto e para muitas mulheres solteiras ou descasadas o Dia dos Namorados é perturbador – não propriamente o ‘estado solteira’, mas a solidão de não poder dividir coisas divertidas em um dia que é criado para casais – o que pode levar muita gente a ficar ‘deprê’.

Eu já passei alguns anos sozinha e nessa situação pode-se optar por dois caminhos: ou se deixar abater por essa sensação de baixo astral e passar um dia super melancólico, ou fazer algo divertido. Você sabe: para tudo existem dois lados. Assim, que tal maximizar as vantagens e minimizar as desvantagens?

Estar solteira não significa ser sozinha – uma coisa não implica na outra. Além disso, para muita gente é uma opção concreta. Seja como for, socializar é sempre uma boa maneira de expulsar a melancolia. A maioria de nós é cercada de amigos e colegas, gente que pode se reunir.

Então, aproveite a data para reunir os sozinhos para comemorar a liberdade total e divertir-se. Vários bares e danceterias possuem programação especial de “solteirice”. Assim, se você não quiser levar todo mundo pra sua casa, essa é outra boa ideia pra juntar gente e jogar conversa fora – regada a queijo e vinho.

Mas se encontrar alguém em uma balada, surgir oportunidade e estiver interessada, aproveite o momento. Só não fique elocubrando sobre o que vai acontecer depois (se ele vai ligar, ficar interessado em você depois, se isso é só azaração). Entretanto, não faça nada que possa se arrepender. Previna-se e não cometa erros por impulso – como sair com aquele homem que não tem nada do que você busca ou ir pra a cama com alguém sem pensar. Ações como essas podem gerar problemas, arrependimento e culpa – sentimentos que podem ser evitados.

Você também pode dedicar-se a um hobby – seu favorito. Jogar videogame (com ou sem os amigos), ler, ouvir música, cozinhar pra si mesma algo especial, dançar… Também é legal ver um filme ou série – mas nada que possa lhe deixar triste, que lembre alguém ou leve a questionamentos existenciais. Escolha algo leve, de suspense ou humor.

Passeie sozinha, se quiser ou não conseguir organizar um programa com os amigos. Vá a uma exposição, livraria, até ao cinema. Você ocupa a cabeça, conhece novas coisas e aprende que pode ser uma excelente companhia pra si mesma.

#Be Happy!

Afaste-se das pessoas “deprês” no Dia dos Namorados – aliás, sempre. Se você tem amigos que quando você não está bem lhe deixam mais triste, queixam-se do mundo e tem uma energia densa, dê um tempo deles – pelo menos nesse dia.

Compre um presente pra si mesma, algo que pode ser apenas simbólico – um chocolate, um batom, um livro, uma bijoux. E, por fim, seja uma pessoa positiva. A positividade nos acalma, serena o interior e sempre atrai coisas boas…

Tin-tin! 😉


Fonte: Mulher Digital

Débora Böttcher Lessa

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, amante da literatura e de chocolate. Vive um dia de cada vez. Mora em SP. Trabalha com arte visual, mídias sociais e mkt. Casada, 'mãe' da Maya, uma labradora cor de cacau, e da Luna, uma labradora black. Também administra o Portal Babel Cultural [www.babelcultural.com]

Troque ideias conosco!