CUSCUZ PAULISTA – DE FRANGO

Débora Böttcher Lessa

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, amante da literatura e de chocolate. Vive um dia de cada vez. Mora em SP. Trabalha com arte visual, mídias sociais e mkt. Não tem filhos. Vive com o marido e Maya, uma labradora cor de cacau, e Luna, uma labradora black. Também administra Babel Cultural.
Débora Böttcher Lessa

Últimos posts por Débora Böttcher Lessa (exibir todos)

Essa é uma receita fácil e que (quase todo mundo gosta). Dá pra preparar para festas, para um lanche de fim de semana ou como acompanhamento em qualquer refeição (almoço ou jantar). Não é totalmente light por causa da farinha de milho, mas sem exagero não é proibido – cada porção tem em média 231 calorias.

cuscuz_frango
Feito para a Festa Junina.

Para o preparo você vai precisar de:

. 4 colheres (sopa) de azeite
. 1 cebola pequena picada
. 2 dentes de alho picados
. 300 g (média) de peito de frango sem osso, cozido e desfiado (reserve a água onde o frango for cozido)
. 1/2 xícara (chá) de ervilhas (ou uma lata*)
. 1/2 xícara (chá) de milho verde (ou uma lata*)
. 2 tomates ‘pelados’ picados
. 1 cubo de caldo de galinha (sem sódio é melhor)
. 1 1/2 xícara (chá) de farinha de milho (mais ou menos)

Você também pode acrescentar palmito, pimentão, azeitona, e outros temperos, como salsinha, cebolinha, folhas de orégano fresco, coentro.

*Algumas marcas tem o ‘dueto’ ervilha/milho verde em lata. Nesse caso, uma lata é suficiente.

Para enfeitar:

. 1 ovo cozido cortado em rodelas
. 1 tomate cortado em rodelas

Dica: não coloque ovo cozido na massa, pois se sobrar para o dia seguinte, pode azedar.

Você também pode substituir o frango por sardinha em lata ou fazer um cuscuz só de legumes.


Modo de preparo

Em uma panela, aqueça o azeite e doure a cebola e o alho. Acrescente o tomate picado e o frango. Se for juntar pimentão ou outro ingrediente que demande breve cozimento, pode fazê-lo nessa hora.

Junte então o caldo knorr e duas xícaras do caldo do frango. Deixe cozinhar por alguns minutinhos após o início da fervura.

Acerte o sal – para o meu paladar, um cubo de knorr é suficiente.

Adicione o milho verde e as ervilhas, o palmito (opcional) e os temperos, como salsinha e cebolinha – e se você gostar, meia pimenta picadinha (pode ser a dedo-de-moça que é a mais leve).

Adicione, aos poucos, a farinha de milho, mexendo sempre – ela vai cozinhando enquanto você mexe e incorporando aos demais ingredientes. A ‘massa’ deve ficar levemente consistente, mas ainda macia (não acrescente farinha até ficar totalmente encorpada, senão depois que esfria o cuscuz fica duro). Você vai perceber quando, ao mexer, começar a desgrudar do fundo da panela: é o ponto de que está pronto.

Unte uma forma com furo central com água – é só molhar, como se fosse lavar (não precisa untar com mais nada).

Forre o fundo da forma com as rodelas de ovo e tomate ou o que preferir – pode ser uns pedacinhos de palmito, um pouco de milho e ervilhas, a seu gosto e criatividade.

Coloque o cuscuz e pressione. Deixe esfriar uns cinco minutos e desenforme – eu, normalmente, desenformo na hora, mas pra ter menos chance de ‘quebrar’, vale esperar.

Dica: para servir em festas, faça minicuscuzes em formas de empadinhas.

E bom apetite!

Débora Böttcher Lessa

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, amante da literatura e de chocolate. Vive um dia de cada vez. Mora em SP. Trabalha com arte visual, mídias sociais e mkt. Não tem filhos. Vive com o marido e Maya, uma labradora cor de cacau, e Luna, uma labradora black. Também administra Babel Cultural.

Troque ideias conosco!